Seminário de Ética e Sustentabilidade Humana de FURNAS discute o assédio moral e suas consequências

Publicado em:
/ Crédito: Arquivo FURNAS

A Comissão de Ética de Furnas realiza no dia 12/06 o Seminário de Ética e Sustentabilidade Humana. Especialistas vão apresentar as visões do assédio moral do ponto de vista do Judiciário, da convivência humana e as implicações médicas dessa prática cada vez mais comum no mundo corporativo.

Só em 2018 foram instaurados 185 processos de apuração relacionados a assédio no serviço público federal, que geraram a expulsão de nove servidores. Um recorde, segundo a Controladoria Geral da União, a CGU, desde que a prática começou a ser registrada em 2014. Os dados da Previdência Social dão a dimensão real do problema. Nos primeiros nove meses de 2018, foram concedidas pelo INSS mais de oito mil licenças por transtornos mentais e comportamentais adquiridos no ambiente de trabalho, um avanço de 12% em relação ao mesmo período do ano passado. Só o afastamento por depressão e ansiedade aumentou cinco pontos percentuais. 

Assédio moral no trabalho é toda e qualquer conduta abusiva (gesto, palavra, escritos, comportamento ou atitude) que, de forma intencional e frequente, tira a dignidade e a integridade física ou psíquica de uma pessoa, ameaçando seu emprego ou degradando o clima no trabalho. O assédio pode assumir tanto a forma de ações diretas (acusações, insultos, gritos, humilhações públicas) quanto indiretas (propagação de boatos, isolamento, recusa na comunicação, fofocas e exclusão social).

“Existe uma linha tênue entre o direito do patrão de exigir desempenho e cobrar tarefas e o assédio moral. Não podemos esquecer que estamos tratando com um ser humano. Coisificar o empregado, precificar seu trabalho ou humilhá-lo são atitudes que acabam com a sua autoestima e acarretam problemas como isolamento, depressão e, em último caso, até suicídio”, explica o presidente da Comissão de Ética de FURNAS, Paulo Henrique de Sousa Azevedo.

No seminário, o juiz Fábio Rodrigues Gomes, titular da 41ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, mestre e doutor em Direito Público pela UERJ e autor de livros e artigos jurídicos sobre o tema vai falar sobre o assédio moral na visão do judiciário. Sobre ética, convivência humana e educação, quem fala é o psicólogo, engenheiro, mestre em Ciências da Religião e em Psicologia Analítica, Fernando Stanziani, e a médica do trabalho Vera Brinkerhoff vai falar sobre os impactos do assédio na saúde do trabalhador. 

As inscrições gratuitas podem ser feitas pelo email: gaoinscricao@furnas.com.br.
 

Por: Imprensa