Consumo consciente





O Brasil está enfrentando a maior crise hídrica dos últimos 91 anos. O custo da energia aumentou e há riscos de racionamento. Para superar o problema, é importante que todos os brasileiros contribuam, economizando água e energia em suas atividades cotidianas. Mas isso não significa perder conforto, higiene ou qualquer outro benefício que a água e a energia nos trazem. Um pouco mais de atenção e alguns novos hábitos simples representam boa contribuição.

Listamos algumas dicas e recomendações. Confira.


Para economizar energia


Aparelhos eletroeletrônicos
 

  • Antes de adquirir eletroeletrônicos, compare o consumo de energia elétrica entre os diversos modelos e marcas disponíveis no mercado, certificando-se de que o aparelho atende a seu propósito e necessidades. E procure o selo de eficiência do PROCEL.
  • Outra dica importante refere-se ao horário de utilização dos aparelhos elétricos. Se possível, procure utilizá-los fora do horário de pico de demanda de energia elétrica: das 18 às 21 horas. Este hábito não reduz o consumo, mas contribui para evitar sobrecarga no sistema elétrico, reduzindo o risco de apagão.
  • Além de desligar televisores e computadores quando não estiverem em uso, você também deve retirá-los da tomada, pois, mesmo no modo de espera stand by, seguem consumindo energia.



 

Sistema de iluminação
 

  • Procure substituir lâmpadas halógenas e fluorescentes pelas lâmpadas LED, que consomem até 85% menos energia.
  • Evite manter lâmpadas acesas desnecessariamente. No período diurno, aproveite a iluminação natural.
  • Para aproveitar ao máximo a luminosidade emitida pelas lâmpadas, mantenha as luminárias sempre limpas. E, para diminuir a necessidade da iluminação artificial, pinte tetos e paredes internas com cores claras, que refletem melhor a luz.



 

Chuveiros elétricos


A utilização de chuveiros elétricos representa de 25% a 35% do total consumido mensalmente em uma residência. Por isso, algumas medidas são imprescindíveis:

  • Ao adquirir um chuveiro elétrico, procure aqueles com potências condizentes com o clima de sua região. Há chuveiros próprios para regiões frias (Sul e Sudeste) e outros indicados para as regiões quentes (Norte e Nordeste).
  • Evite banhos demorados: em média, 8 minutos são suficientes. E lembre-se de fechar a torneira ao ensaboar-se.
  • Também procure utilizar a opção “verão”, pois, o consumo de energia é 40% menor que na opção “inverno”. Atenção: para acionar a chave seletora, o chuveiro deve estar desligado.
  • Jamais reaproveite as resistências queimadas: consertá-las pode alterar as características elétricas acarretando maior consumo e menor segurança.
  • A cada seis meses, limpe os orifícios de saída de água do chuveiro pois, quanto mais obstruídos estiverem, menor será a saída de água, aumentando o tempo de banho e o consumo de energia.
  • Evite banhos no horário de pico do sistema elétrico: das 18 às 21 horas.
  • Se possível, opte por sistemas de aquecimento solar ou a gás.



 

Geladeiras e Freezers


Estes aparelhos funcionam 24 horas por dia e representam em média 33% do total consumido mensalmente em uma residência, o que justifica especial atenção para as seguintes dicas:

  • Adquira aparelhos de modelos com selo INMETRO/PROCEL de economia de energia.
  • Instale-os em locais com boa circulação de ar, distantes de fontes de calor como sol e fogões, e afastados cerca de 15 centímetros de paredes e móveis.
  • Evite utilizar a grade traseira dos aparelhos como secador: além de aumentar o consumo de energia, isso reduz a vida útil do aparelho.
  • Regule a temperatura interna do aparelho de acordo com a estação do ano: no inverno, não há necessidade de colocar a temperatura interna na opção “máximo”.
  • Evite abrir repetidas vezes o refrigerador; crie o hábito de inserir ou retirar alimentos de uma só vez.
  • Não coloque alimentos quentes na geladeira ou freezer. Use embalagens com tampa. E não forre as prateleiras com toalhas.
  • Verifique o estado das borrachas de vedação das portas de geladeiras e freezers. Quando a borracha está desgastada, há maior consumo de energia e redução da vida útil do aparelho. Um modo simples de detectar esse problema é colocar uma folha de papel ao fechar e depois puxá-la; se ela sair facilmente, é sinal de que a borracha de vedação deve ser substituída.
  • Ao sair de férias, programe-se para não deixar alimentos estocados, principalmente no freezer, podendo, assim, desligá-lo.



Ferro de passar roupa
 

  • Evite passar roupa no horário de maior consumo de energia, entre 18 e 21 horas.
  • Ao adquirir um novo aparelho escolha os modelos mais econômicos.
  • Acumule o maior número de roupas para passar de uma só vez.
  • Passe primeiro as peças de tecido mais grosso, que necessitam de temperaturas mais altas. Com o ferro desligado, mas ainda quente, passe as de tecido mais fino.


Máquinas de lavar e secar roupa
 

  • Acumule o maior número de roupas para lavar e secar.
  • Use a dose certa de sabão, especificada no manual do fabricante, para evitar operações de enxágue extras.
  • Sempre que possível, prefira estender as roupas para secar em vez de usar a máquina secadora.
  • Limpe os filtros das máquinas na frequência recomendada pelo fabricante.


Condicionadores de ar
 

  • Adquira modelos com o selo INMETRO/PROCEL de economia de energia. E observe se a capacidade do aparelho é adequada ao ambiente a que se destina.
  • Instale o condicionador de ar em local onde a luz solar incida o menos possível e proteja a parte externa do aparelho.
  • Mantenha fechadas janelas e portas do ambiente que estiver sendo refrigerado. Além de aumentar o consumo de energia, a entrada de ar quente no ambiente em refrigeração reduz a vida útil do condicionador de ar.
  • Mantenha limpos os filtros para facilitar a circulação do ar.
  • Procure regular a temperatura do condicionador de ar de acordo com a estação do ano e evite temperaturas muito baixas. O mínimo de 24oC é o recomendado.
  • Lembre-se de desligar o aparelho ao ausentar-se.


Para economizar água


Além de economizar energia, nós também podemos reduzir o nosso consumo de água e assim contribuir com a manutenção dos níveis dos reservatórios.

Algumas dicas:


Rotinas diárias
 

  • Esteja atento às torneiras que ficam pingando durante o dia ou, às vezes, durante toda a noite.
  • Ao escovar os dentes, fazer a barba, ensaboar-se, mantenha a torneira fechada. Uma torneira aberta representa o consumo de 13,5 litros em apenas dois minutos.
  • Procure tomar banhos mais rápidos – de 8 minutos, em média. Isso pode trazer uma economia de até 30 mil litros ao ano. Também evite as duchas de alta pressão. Elas têm vazão de 20/30 litros por minuto.
  • Quando for lavar a louça, use uma bacia para deixar os itens de molho; depois, ensaboe, e ligue a torneira apenas para enxaguá-los todos de uma só vez.
  • A máquinas de lavar louças são recomendadas: elas podem reduzir em até seis vezes o volume de água gasto. Mas lembre-se de reunir uma grande quantidade de peças para a mesma lavagem. Isso vale também para as máquinas de lavar roupas.




Limpezas
 

  • Nas limpezas de carros, quintais, calçadas também é possível economizar muito. Prefira vassouras e baldes às mangueiras. Uma mangueira ligada por 15 minutos gasta 280 litros de água.
  • Se for mesmo necessário limpar com água, use equipamentos de limpeza a jato, que consomem pouco volume com forte pressão.
  • No jardim, evite regar as plantas nos horários de sol forte, para evitar a rápida evaporação. O ideal é fazer isso antes das 10 horas da manhã ou depois das 19 horas. No inverno, dependendo das plantas que você tiver, poderá até regar em dias alternados.
  • Piscinas devem ficar cobertas com capas quando não estiverem sendo usadas, de modo a evitar evaporação. Até 90% da água da piscina pode ser evaporada em um mês. Também é importante revisar bomba e filtro da piscina, pois o mau funcionamento desses equipamentos impacta no consumo de água.



Equipamentos hidráulicos e processos eficientes
 

  • Muita atenção a vazamentos nas tubulações: um buraco de 2 mm em um cano desperdiça 3.200 litros de água por dia.
  • Nas residências, o vaso sanitário é um grande vilão e os antigos costumam consumir mais água. Se possível, troque por equipamentos mais modernos e eficientes. E procure dispositivos que ajudam na redução do consumo de água: arejadores de torneiras, aparelhos que restringem a vazão, bacias sanitárias com volume de descarga reduzido (VDR) e válvulas com desligamento automático.
  • Também é possível fazer a captação da água da chuva para lavar calçadas, regar jardins entre outros usos: basta colocar um recipiente grande embaixo da calha.
  • Além de adotar essas medidas, você também deve conversar com as pessoas à sua volta e incentivar o consumo consciente de água.


Conheça a página Consumo Consciente Já.
 

Fontes: Abilux, ANEEL, IDEC e Sanepar.