Recursos humanos

 

FURNAS considera que sua força de trabalho é fator importante de sucesso empresarial. A política de gestão de pessoas atua como agente do fortalecimento organizacional, contribuindo para a competitividade, rentabilidade e sustentabilidade do negócio. Com o objetivo de aumentar a satisfação e melhorar a qualidade de vida dos colaboradores, a gestão de pessoas está direcionada a soluções que proporcionem condições adequadas ao desenvolvimento, valorização e retenção de seu quadro de pessoal.
 

Concursos

 

Estágios

 

Segurança
do trabalho
 

Convênio
de saúde
 

Lista de
empregados
 


Plano de Carreira e Remuneração (PCR)
 

FURNAS adota, desde 2010, o Plano de Carreira e Remuneração (PCR) das Empresas Eletrobras, que utiliza como base o conceito de competências como principal referência para gestão de pessoas. O modelo de carreira utilizado visa alinhar políticas e práticas de gestão de pessoas ao direcionamento estratégico empresarial, bem como integrar os processos de gerenciamento de pessoas na busca da melhoria do desempenho organizacional.

O PCR está baseado na descrição de cargos, separados por natureza e complexidade. Para as remunerações, são considerados os cargos, as faixas de complexidade em que o empregado se enquadra e os critérios para progressões horizontais e verticais, concedidas de acordo com o desempenho do empregado.


Participação nos Lucros e Resultados (PLR)
 

FURNAS concede a seus empregados efetivos a participação nos lucros e resultados após o encerramento de cada exercício financeiro, desde que as metas coletiva e individual sejam alcançadas. As metas coletivas são indicadores financeiros (margem operacional líquida e índice de custeio) e operacionais (disponibilidade operacional do sistema de geração e transmissão). A meta individual consiste no fator de contribuição individual, que corresponde à relação entre os dias (ou horas) efetivamente trabalhados pelo empregado e o total de dias (ou horas) exigidos.

Além das metas, há ainda pré-requisitos fundamentais para este pagamento, que estão relacionados à distribuição de dividendos aos acionistas da Eletrobras e de FURNAS, à razão de 50% do resultado das metas da holdinge 50% de sua subsidiária. O montante a ser distribuído aos empregados não pode ultrapassar o limite de quatro remunerações. A PLR está em conformidade com o estabelecido na Resolução do Conselho de Coordenação e Controle das Empresas Estatais (CCE) nº 10/1995 e na Lei nº 10.101/2000.

O Decreto nº 8.945/2016, que regulamenta a Lei nº 13.303/2016 no âmbito da União, introduziu a possibilidade de pagamento de remuneração variável aos Diretores das empresas estatais. Este pagamento está atrelado ao atendimento das metas e dos resultados na execução do plano de negócios, nos termos estabelecidos pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais - SEST do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. A Eletrobras, então, submeteu à SEST a relação de indicadores e metas associadas à remuneração variável para o ano de 2017, adotada por todas as subsidiárias e alinhada ao Plano Diretor de Negócios e Gestão (indicadores, metas e projetos estratégicos).


Benefícios
 

Além dos benefícios e vantagens a que está obrigada por lei e força de Acordo Coletivos de Trabalho, FURNAS agrega outros de forma espontânea como parte da política de valorização e retenção de seus empregados. A iniciativa tem como base as premissas da política de recursos humanos da empresa, destacando-se plano de saúde e odontológico, auxílio-alimentação ou refeição, auxílio-creche, auxílio-educacional, auxílio-óculos, auxílio-funeral, cesta natalina, reembolso de medicamentos de uso contínuo e seguro de vida, entre outros.


Capacitação dos Empregados


Com o objetivo de desenvolver/aprimorar as competências de sua força de trabalho, com foco no desenvolvimento contínuo e no alcance dos objetivos estratégicos empresariais, Furnas promove, por meio do Plano Global de Aprendizagem, a participação de seus empregados em ações educacionais (tais como cursos, congressos, palestras, workshops e pós-graduações) e em ações de gestão/compartilhamento de conhecimentos (tais como fóruns de discussão e comunidades de práticas).

O Plano Global de Aprendizagem, com periodicidade anual e elaboração em parceria com as Áreas de Negócios, é estruturado de acordo com eixos temáticos que perpassam a atuação da Empresa: Liderança, Estratégico, Áreas de Negócios, Saúde e Segurança do Trabalho e Competências Gerais.

Os processos de Educação Corporativa e de Gestão de Conhecimento são coodenados pela Superintendência de Gestão do Capital Humano.


Avaliação de Desempenho
 

A avaliação de desempenho por competências é aplicada em FURNAS desde 2005. A partir da implantação do Plano de Carreira e Remuneração (PCR) unificado para o Sistema Eletrobras, a empresa adota o Sistema de Gestão de Desempenho (SGD), o qual contempla, além da avaliação de competências, a avaliação de metas. O processo vem evoluindo e incorporou, desde 2015, a avaliação dos gerentes por suas respectivas equipes.

Os resultados da avaliação são utilizados como subsídio para o desenvolvimento das potencialidades dos empregados e servem de base para progressões salariais individuais, bem como para a elaboração do Plano de Desenvolvimento Individual (PDI).


Pesquisa de Clima Organizacional
 

Trata-se de importante ferramenta de gestão de pessoas, pois revela a percepção dos empregados sobre a empresa. Retrata os níveis de satisfação, motivação e relações de trabalho, além de possibilitar a elaboração de plano de ação para minimizar problemas.

Em novembro de 2015, foi realizada nova pesquisa de clima para as Empresas Eletrobras. No primeiro semestre de 2016, foi disponibilizado para os empregados o resultado global de FURNAS e de suas unidades organizacionais. O índice apurado foi de 65,93%. Em dezembro, com base nos resultados apresentados, foi realizada reunião com a Diretoria Executiva e a consultoria que conduziu a pesquisa, quando foram analisados os resultados e definidas as prioridades corporativas para que os superintendentes construíssem os planos de melhoria do clima organizacional da empresa.

Espera-se que, com a construção e implementação das ações de melhoria, o índice de favorabilidade de FURNAS atinja a meta de 68% estabelecida pelo Contrato de Metas de Desempenho Empresarial (CMDE).